Seguidores

quinta-feira, novembro 10, 2005

APENAS AVOANTE



APENAS AVOANTE...

AS IMAGENS FICAM DÚBIAS
O RACIOCÍNIO NÃO EXISTE
O CORAÇÃO DISPARA...
TUM ... TUM ... TUM ...TUM ....

A MENTE ATRAIÇOA
SOA, OUSA...

A VONTADE NÃO PERSISTE
A LUCIDEZ ESCOA
O PESO É POUCO
O CORPO É OUTRO ....
TUM... TUM... TUM...TUM

A VOZ SOME
O SOM NÃO ECOA
A PERCEPÇÃO ENTOA
E A IMAGINAÇÃO SE DOA
TUM... TUM ... TUM ...TUM...

NÃO HÁ O QUE FAZER
NÃO HÁ O QUE SE DAR
NÃO HÁ DE NADA HAVER
NEM SE AVOANTE FOSSE
COM QUERER, SEM QUERER
SEM DIZER, SEM SENTIR
PRA QUE SER ?
TUM... TUM... TUM...TUM...

QUE BOM SERIA SEREIA SER
PRA NO MAR PODER CRESCER,
VIVER, MORRER E NADA TER...

CANTAR SÓ OS SENTIDOS,
TOMAR OS SEUS OUVIDOS,
SEM NADA A LHE DIZER .

CHORAR SEM EMOÇÃO,
SEM SENTIR O CORAÇÃO.
A LÁGRIMA SEM UNIR ,
NAS ÁGUAS DA CANÇÃO,
PARA QUE A EMOÇÃO,
NÃO SE FAÇA DE ILUSÃO,
NAS COISAS DA RAZÃO.

APENAS ASSIM SOAR
NA SOLIDÃO,
UM CORAÇÃO SEM AÇÃO,
SEM NOÇÃO,
SEM CANÇÃO E SEM VISÃO...
TUM... TUM... TUM... TUM... TUM...TUM

7 comentários:

Anônimo disse...

Nossa forte e peverso.Ir ou não ir... melhor não. Ficar para continuar. Intrínsico e misterioso... Deixa estar aquietar para do tum tum tum tum ter e se acalmar.!

Inara

Manoel Jr disse...

Olá Ysolda, tudo bem?

Parabéns pelo poema... muito bom e muito original. É de sua autoria?

Bjos!

Anônimo disse...

Minha amiga estava sentindo-se solta ao vento ... leve ... guiada pelas brisas de seus pensamentos.
Ei Ysolda, esse poema "musicado" deve ficar show ein? Num tom de bossa deve soar bem. O que acha? Tenta lá ... e me diz o resultado ...
As palavras, muitas vezes, funcionam como um espelho da alma ... refletem o nosso estado de espírito momentâneo (já que somos seres em transformação constante). E o seu refletiu essas palavras. Lindo espírito.
Um abraço, minha amiga.
Wander

aThos disse...

muito legal o poema tia...
anda filosofando é?!
hehehehehe
nunca mais parei pra pensar direito na vida... =/
mas é isso aí...
Beijãoo
saudades...

Rodolfo Vasconcellos disse...

Lindo poema minha amiga.
Agora é uma tarde morna de domingo, de começo de verão, de começo de fim de ano. Ainda estou sonâmbulo, entre o sono e a vigília pelo cansaço do trabalho na madrugada. Teu poema chega como o despertador, ou a trombeta do anjo a me sacudir, em direção ao Cinema da Fundação. Beijo.

Anônimo disse...

Olá tia!

Bela maneira de se ter um terapeuta. COlocar o que sentimos me palavras verdadeiras!

Amo vc!
COntando os dias!

Beijo,
Yamaha.

mario baricheli scarpa disse...

oieeee !

axei seu blog lindão !!

bjão pra vc e felicidadesss

=***