Seguidores

sexta-feira, janeiro 29, 2010

AMOR SEM LIMITE

AMOR SEM LIMITE
De: Ysolda Cabral


Meu amor transcende ao desejo
Não! Não.
Vou recomeçar:

Meu amor transcende a Vida,
E fica num espaço único,
Sem nenhum vazio.

Sem fim ou limite,
Tudo lá é eterno,
É bonito...

Em seus descaminhos,
Meu amor é meu Guia,
E me acarinha,
Lendo minhas, suas poesias,
Para eu dormir e sonhar...

Com o dia que,
Definitivamente juntos,
Poderemos ficar.

Publicado no Recanto das Letras em 29/01/2010
Código do texto: T2057722

quarta-feira, janeiro 27, 2010

APELO

APELO
DE: Ysolda Cabral


Em qualquer tempestade...
Adapta-me!
Em qualquer situação...
Encara-me!
Em qualquer dificuldade...
Aquieta-te!
Acalmo-te.
Sou o amor em ti ...
Lembras que somos um?
Então, não te privas de mim!
Pois, do jeito que sou,
Vou te amar até o fim.


Publicado no Recanto das Letras em 27/01/2010
Código do texto: T2053895

terça-feira, janeiro 26, 2010

NA REDE DO DESTINO

NA REDE DO DESTINO
De: Ysolda Cabral


Olhando o meu retrato,
Preso na rede do destino,
Questiono o meu tino...

Lembrando alguns momentos,
Vividos como se fossem os últimos,
Choro e dou risada.

Contudo...

Sei que estou diferente,
Daquela que ora vejo,
Presa na bela rede.

Não no sentido literato,
Isso veio comigo,
De espaços natos,
Nunca imaginados de fato.

Estou diferente,
Por não sonhar como dantes.

Porém no peito há esperança,
De ser feliz novamente,
Mesmo que seja;
Por apenas um Ato.


Publicado no Recanto das Letras em 26/01/2010
Código do texto: T2052958

segunda-feira, janeiro 25, 2010

RESPINGOS DE AMOR E SANGUE

RESPINGOS DE AMOR E SANGUE
DE: Ysolda Cabral



A indiferença e a inércia são aparentes,
Um vulcão as vias da erupção,
É um acontecimento bastante previdente.

Então não facilite e nem duvide,
Você não sabe o que é um coração
Apaixonado, solitário e valente.

Um coração assim é um perigo a vista,
Um perigo realmente iminente,
Uma bomba-relógio em contagem regressiva.

De repente... BUM!!!!!

Em pedaços, por todos os lados,
Respingando amor e sangue,
Colorirá qualquer passante...

Mesmo aquele que, como você,
Sempre foi, é e será um amigo intrigante.

**********

PS. Tema sugerido e eu adorei!!!


Publicado no Recanto das Letras em 25/01/2010
Código do texto: T2049723

domingo, janeiro 24, 2010

CORAÇÃO DE TOURO


CORAÇÃO DE TOURO
De: Ysolda Cabral


Como um coração como o teu,
Malandro, saltimbanco ágil...
Ficou apenas na morada
Que o destino escolheu?

Consideras as travessuras,
Das brincadeiras inventadas na poesia,
Suficientes para achar que tua vida valeu?

Ora, meu amigo, deixa disso!
Não sabes que a pontada no peito do “touro”
Foi apenas um aviso tolo?

O amor há muito estava ali!
Pois ali era o seu lugar.
Mesmo morto e enterrado,
Por que o fostes acordar?


*****


PS. Inspirado no belíssimo poema " Para Ela" do nobre escritor recantista Paullino Vergetti Neto.

*****

Publicado no Recanto das Letras em 24/01/2010Código do texto: T2047952

sábado, janeiro 23, 2010

VONTADE DE MORRER

VONTADE DE MORRER
De: Ysolda Cabral


Pela maneira dela ser,
Se não é doida e nem poeta,
Responda-me quem souber:

É um ser extraterrestre?
Uma irresponsável qualquer?
Uma perdida no mundo,
Com fama de bem-me-quer?

Ah, meu amigo!
Responda-me se puder:

Que sina triste é essa,
De parecer sempre alegre,
Quando o coração dela padece?

Pela maneira dela ser...
Responda-me quem souber:

Como pode uma mulher,
Que ama desesperadamente,
Ter vontade de morrer?

Publicado no Recanto das Letras em 23/01/2010
Código do texto: T2046486

sexta-feira, janeiro 22, 2010

LUCIDEZ INSANA



LUCIDEZ INSANA
De: Ysolda Cabral


Depois de longa espera,
Ansiosa e intensa,
A paixão a revela.

Trêmula de saudade,
Uma saudada doída, mas bela,
Até lhe completa...

E nos preparativos do reencontro,
Planeja, sonha, espera...

De repente a lucidez dita à regra.

Você chora, entristece, emudece,
E, obediente... Impotente...
Abre mão da quimera...

Continuar seu caminho,
Indiferente e inerte,
É apenas o que lhe resta.


Publicado no Recanto das Letras em 22/01/2010
Código do texto: T2045667

MALABARISTA DE SINAL

MALABARISTA DE SINAL
De: Ysolda Cabral


Tatuagem no braço,
Bermuda de lista,
Camiseta azul,
Liberdade a vista;

Lá estava o malabarista...

Sob os raios de sol,
Da linda manhã quente,
Olhos azuis que sabe e sente,
O mistério que há em nós;

Lá estava o malabarista...

Gestos seguros,
De quem sabe o que quer e o que faz,
Lá deixei;

O malabarista e seus sinais.


Publicado no Recanto das Letras em 22/01/2010
Código do texto: T2044538

quinta-feira, janeiro 21, 2010

DEUS DA CHUVA - UM APELO


DEUS DA CHUVA - UM APELO
De: Ysolda Cabral


Fora de época a chuva cai...
Permitindo idas,
Impedindo vindas,
E muitos ais...

- Quem serás?

Oh! Deus controverso
Que em meus versos
Soa estranho e adverso,
- Onde estás?!

Que queres de nós,
Pobres e Indefesos mortais?!

Somos culpados por tua ira,
- Eu sei!
Mas nem todos nós!

Então consideras
Os que não são tão iguais,
E pára essa chuva
Pra não matar ninguém mais.


Publicado no Recanto das Letras em 21/01/2010
Código do texto: T2042549

quarta-feira, janeiro 20, 2010

TEMPO SORRATEIRO

TEMPO SORRATEIRO
De:Ysolda Cabral



Aos vinte e poucos anos,
Sua vida é mesmo um sonho.
A paixão lhe faz bonita,
Tudo lhe entusiasma e motiva.

As tristezas logo passam,
E, como num passe de mágica,
As decepções são superadas,
E os objetivos se firmam.

O Tempo passa sorrateiro...
Impotente você constata,
Os enganos cometidos.

Aí não há reza que dê jeito,
Não adianta desespero,
O que está feito está feito.


Publicado no Recanto das Letras em 20/01/2010
Código do texto: T2041024

terça-feira, janeiro 19, 2010

TROVÃO RAIVOSO


TROVÃO RAIVOSO
De: Ysolda Cabral


Exausta fui dormir...
Sem sonhos acordei,
Num dia que chorava,
Como muitas vezes chorei...

Raivosamente o Trovão advertiu:
Melhor parar com esse chororô,
Senão mandarei mais relâmpagos,
Parar ligeiro essa dor.

Comecei a refletir...
Como será que o Relâmpago,
Iria parar tanta dor...?

De repente um clarão forte no Céu...
Mais que depressa fiz uma oração,
Pedindo a Natureza que pelo amor de Deus,
Parasse de chorar, senão o mundo ia acabar.

Surpresa Ela parou... Eu me levantei...
E sem nenhuma compreensão descobri que;
Quem chorava era eu.


Publicado no Recanto das Letras em 19/01/2010
Código do texto: T2038504

sexta-feira, janeiro 15, 2010

PECADOS DO MUNDO

PECADOS DO MUNDO
De: Ysolda Cabral


Hoje acordei cedinho, cedinho,
Antes de o sol nascer,
Mas meu “coral”, em harmonia,
No palco de lindas árvores,
Já cantava o seu “Bom Dia”.

Este é um dos momentos,
Que mais gosto do dia;
- O amanhecer –

É nesse momento que renovamos,
A teimosa esperança que, em nós,
Insiste firmemente em não morrer.

Respiro fundo, faço com fé uma oração,
- Sem revolta, sem questionamento –
Pedindo a Ele pelo povo do Haiti,
Tão terrivelmente castigado,
Pelos pecados do mundo.

- Só pode ser!

**********

Publicado no Recanto das Letras em 15/01/2010
Código do texto: T2030520

quarta-feira, janeiro 13, 2010

terça-feira, janeiro 12, 2010

IOIÔ DE ALEGRIA

IOIÔ DE ALEGRIA
De: Ysolda Cabral


Ah, estou tão contente!
Tão contente que me sinto flutuar,
Como se estivesse apaixonada,
E ainda fosse adolescente.

Não, não comente!
É só hoje que me sinto assim.
Eu prometo solenemente.

Não, não se assuste,
E nem se ausente.
Logo estarei aqui novamente.

Veja! Nem chove e nem faz sol,
E o dia me parece um lindo girassol

A noite logo, logo chegará,
E o Céu bastante estrelado,
Me lembrará o seu olhar.

Brincando comigo,
Como se eu fosse um Ioiô,
Entendi que o Universo,
Só para me fazer feliz,
Recorreu ao complô.



Publicado no Recanto das Letras em 12/01/2010
Código do texto: T2025782

quinta-feira, janeiro 07, 2010

DOCES LEMBRANÇAS


DOCES LEMBRANÇAS
De: Ysolda Cabral


O seu olhar,
Em suave carícia...

A sua voz,
Sem nem falar de nós...!

O seu sorriso de menino,
De todos os sorrisos o mais bonito.

Riquezas guardadas,
Na memória da alma,
Com especial carinho.

**********

Publicado no Recanto das Letras em 06/01/2010



Código do texto: T2014026

terça-feira, janeiro 05, 2010

MEU MUNDO



MEU MUNDO
De: Ysolda Cabral

Não estou triste,
E nem estou contente.

Não estou doente,
E nem estou reticente.

Contudo estou diferente.
Até me olhei no espelho!

- Me vi frente a frente... Sem medo.

Respirei fundo,
Retrospectiva de cada segundo.

Flores de sonho,
Raios de Sol,
Luz da Lua,
Brilho de estrela...

O teu olhar,
Meu mundo.


Publicado no Recanto das Letras em 05/01/2010
Código do texto: T2012124

domingo, janeiro 03, 2010

ALMA PENADA



ALMA PENADA
De: Ysolda Cabral

Terceiro dia do ano,
Do nada me entristeço, me constranjo.
Crio mágicos – lindos sonhos –
E continuo esperando, me enganando...

Até quando, me pergunto.
E eu mesma me respondo:
Enquanto a minha alma
Abrigar um amor desesperado.

Tento exterminá-lo e não consigo!
Parece mais um propósito,
Ou talvez uma mandinga...

Desfazê-la quem souber, por favor, me diga!
Ou a punição será nefasta:
A de ter para sempre uma alma penada
.