Seguidores

sexta-feira, abril 14, 2006

DESEJO DE MULHER GRÁVIDA




DESEJO DE MULHER GRÁVIDA


Quando estava com Yauanna na barriga, pensava como seria ela quando moça. Não conseguia imaginar por mais que me esforçasse e isto me deixava assustada. Na minha cabeça maluca achava que isto não era bom sinal. Eu pensava: será que vou ter mesmo minha filha? E dava uma dor danada no coração, um frio na barriga e corria para debaixo do chuveiro para me acalmar. Deixava a água escorrer pelo meu corpo e sentia que ela dava pulos de alegria. Aquilo me acalmava de forma inexplicável.

Não foi fácil minha gravidez por conta do medo de não conseguir tê-la e tudo me alarmava de forma intensa. Entretanto, eu estava radiante, pois supunha ter feito uma grande descoberta: desejo na gravidez não existia. Era pura frescura de algumas mulheres para chamar a atenção dos maridos... Aquelas conversas que me contavam alguma amigas de terem tido desejo de comer fruta verde, fora de época e não sei mais o quê... Eu ouvia e intimamente mangava delas descaradamente e maldosamente.

Muito bem. Minha barriga crescia a olhos vistos e eu já não cabia em nenhuma roupa. Resolvi desenhar algumas bem bonitas e bem folgadas. Comprei uns tecidos floridos, leves e minha tia, Maria José, me levou no ateliê de uma famosa e habilidosa modista que costurava exclusivamente para as mais chiques lojas do Recife para que ela executasse as minhas “criações”. Lá chegando, observei que seu ateliê ficava no térreo de sua linda e enorme casa. Entrei meio constrangida e dei de cara com um ambiente simples, muito bonito e agradável. Ela, a modista, simpática e gentil, me levou até uma enorme mesa, abriu o pacote dos tecidos e os meus desenhos.

Começou a me perguntar uma série de coisas e pasmem: EU NÃO CONSEGUIA OUVIR ABSOLUTAMENTE NADA. APENAS, PERCEBIA O MOVIMENTO DE SEUS LÁBIOS.

Minha tia percebeu e se assustou. Chegou até a mim e me sacudiu. Foi quando eu me ouvi perguntar à gentil modista: O CUSCUS VAI DEMORAR A SAIR DO FOGO?

Eu babava, literalmente! Que vergonha!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

É Ysolda, parece que foi ontem quando entrou no Banco antes da hora para me dizer que estavas grávida!
Que desejo maravilhoso no cheiro do cuscus que trouxe essa linda menina moça ,cheirosa de garra e força tal qual os olhos grandes da mãe com força de mulher!

Inara

Miralda disse...

Agora fiquei curiosa!!! o cuscuz realmente estava no fogo ou foi coisa da tua imaginação?
Nas minhas quatro gestações nunca tive nenhum desejo. Tive vontade de comer... qualquer coisa gelada...sorvetes, geladinhos (aqueles da bisnaguinha plástica), etc. Mas conheço uma senhora lá do nosso sítio que comeu raspas de tijolo e areia quando estava grávida. Isso é que eu chamo de desejo. hehehehheh.

Anônimo disse...

Miralda,

Hahahahaha...
O cheiro do cuscus estava impregnando todo o ar do ateliê menina!!!!
Beijos
Ysolda Cabral