Seguidores

terça-feira, abril 25, 2006

UM EQUIVOCADO DESFECHO



UM EQUIVOCADO DESFECHO


ANJO DE GUARDA SOU,
SEM GRANDE SERVENTIA...
ANJO DE GUARDA TENHO.
COITADO...
VIVE EM AGONIA!

ANJO DE GUARDA,
EU VIA, SENTIA, QUERIA.
E COMO NADA RESOLVIA,
POIS VIA QUE NADA HAVIA,
PARA GUARDAR UM DIA,
RESOLVI QUERER MAIS NÃO.
E QUERIA!
APENAS NÃO SABIA...

JÁ QUE NADA TINHA,
SOFRIA NA INCERTEZA,
DA NOITE GUARDANDO O DIA.
E ELA RIA SEM PIEDADE,
NO ESCURO DO IMAGINÁRIO...
AH! QUÃO TOLA EU SERIA,
EM CONFIAR-LHE MEUS DIAS,
QUANDO NÃO MUITO ILUMINADOS.

HAVIA DE TER LUZ
NA NOITE DO MEU DIA.
HAVIA DE TER, EU QUERIA!

E VIA QUE, SE NADA HAVIA,
NA NOITE DO MEU DIA,
TAMBÉM NÃO HAVIA,
NEM MEDO E NEM SOLIDÃO.
EU SABIA, SENTIA, QUERIA...

QUERIA UM ANJO DE GUARDA,
PARA ME GUARDAR,
DAQUILO QUE DESCONHEÇO,
MAS QUE PREVEJO,
UM EQUIVOCADO DESFECHO.




2 comentários:

Yrama disse...

Não deixe de acreditar...
Ele existe!

Beijos,
Yamaha.

Anônimo disse...

Ainda bem que se diz: porcausa de um grito , não se perde a boiada!
Salutar nunca é perder o tino.
Mesmo que o caminho se cruze e se pertube , mas logo no tempo certo , o caminho se Ilumina.

Inár