Seguidores

domingo, agosto 09, 2009

DIA DOS PAIS



SONETO EM HOMENAGEM AO DIA DOS PAIS


No dia dos pais, uma homenagem ao meu - Alírio - com um soneto do pai dele. Meu avô, meu ídolo, meu amigo, meu fã, meu admirador mais fiel.
- Como ele estaria feliz com a publicação do meu livro!

Infelizmente, já não está entre nós.
Se foi em 25 de setembro de 1976, aos 76 anos.

Obs.: A escolha do soneto, me ative ao gosto de papai.

**********

MEU EPITÁFIO
DE: FIRMINO FILHO


Aqui descansa deste mundo ingrato
um poeta qualquer, um vagabundo...
que aos outros tinha ódio profundo,
embora fosse um eterno caricato.

Mas afinal morreu; morreu de fato.
Foi desgraçado, miserável, imundo;
do vicio torpe e vil foi oriundo,
e por aqui começa o seu retrato:

Não teve luz na vida e nenhum brilho;
entre canalhas foi também canalha
e enganou a gregos e troianos;

Nasceu, viveu, morreu fazendo planos...
e através ás cinzas da mortalha
ainda pensa ser – FIRMINO FILHO -.

*********

Observo que, ele não era nada disso! Era pura poesia, sentimento e a humildade personificada. Não tinha nem coragem de repreender um filho “cara-a-cara”! Só fez isso por mim uma vez, quando mamãe lhe contou que papai havia me dado umas palmadas. - Ele repreendia os filhos por carta!!

- Seu vício: fumar debaixo do cobertor. (Rsrs)

Então é isso: a todos os pais, um dia feliz!
**********

Ysolda Cabral
Publicado no Recanto das Letras em 09/08/2009
Código do texto: T1744764

**********

Nenhum comentário: