Seguidores

segunda-feira, agosto 03, 2009

PUETALÓIDE & YSOLDA CABRAL


AFERIÇÃO POÉTICA - III
Puetalóide & Ysolda Cabral



SONETINHO


Eis tudo o q'eu tenho pra oferecer
- Versos de amor...! E mais nada -
É tudo o que eu colhi pela estrada,
E agora faço-os oferecidos a você.

Quase tudo, do amor, eu sei dizer.
- O amor em mim... Fez morada -
Fez-se versos, e pelas madrugadas
Eu farei bem mais pra ti convencer.

E como que se ainda não bastasse
Os versos que acaso não gostasse,
Eu vos faria de novo... E em festa.

E para que nunca, jamais, faltasse.
Ou você, contente, os declamasse,
Dou a minha garantia... Sou poeta.

Puetalóide

**********

POEMA ENALTECIDO


Ela não se convence do teu amor?
Então desista dessa medusa.
E trata de encontrar outra musa
Que retribua essa paixão com ardor.

Se de quase tudo do amor entendes.
Se ele - O amor - em ti fez morada.
E teu canto é inspirado nas madrugadas,
Esquece dessa mulher desalmada.

Pra quê outros versos, festas e serenatas.
Declarações de amor, flores perfumadas.
Se ela não acredita no amor oferecido?

Presta atenção, Meu nobre amigo...!!!
Compõe outro soneto ainda mais bonito,
E por nós, pobres mortais, será enaltecido.

Ysolda Cabral
**********

Publicado no Recanto das Letras em 01/08/2009
Código do texto: T1731222 - Pág. do Puetalóide

Nenhum comentário: