Seguidores

sábado, fevereiro 28, 2009

DESABAFO



DESABAFO
De: Ysolda Cabral


A música é triste, a madrugada chegou e a chuva continuou.
Novamente estou aqui pensando e pensando...
Nas decisões que a vida toma e muitas vezes se engana,
E tenta se safar colocando na gente sua responsabilidade insana.

Ah, vida louca como às vezes tenho raiva de você!
Neste momento sinto vontade de lhe matar para de fato viver.
A dor que sinto é tanta que transborda como lança,
Bate e volta dilacerando o meu peito já tão arrebentado por você.

Nunca quis ser diferente do que sou, mas queria ser amada como sou.
Sou transparente, posso até ser um erro da natureza...

– Mas só às vezes.

Sou tão torta que desentorto e fico dando voltas no destino,
Pensando que um dia o sofrimento terá fim,
E quem sabe não descobrirei o caminho assim?

Nunca fui medrosa, nem louca, mas já tirei a roupa no meio da rua...
Fiquei nua, exposta, frágil e tudo por causa de uma nojenta barata.
Corri de estrada a fora e já recomposta sorri,

Dei a volta por cima, me vesti...
Garantindo não ter sofrido.

– Menti, pois sofri!

E, neste momento, de música lenta, que a vida tenta tripudiar de mim,
Não aceito, pois quero mais dela para ser feliz inteira e completa.

- Eu mereço!

Se para isso for preciso dormir, dormirei esperando acordar outra vez...

- Lá ou cá, sem revés...

Ah! Que madrugada chata!!
Vou sair por aí, rodar a 130km por hora, isso importa?
Estourar meus tímpanos com um rock da pesada
E esperar a alvorada chegar e sorrir.

Não vou ouvir mais esse “chorinho” dos Beatles,
Especialmente gravado para mim,
Motivo da saudade que dilacera meu peito
E me mata sem estar no fim...
**********
Publicada no Recanto das Letras

Um comentário:

ysoldacabral disse...

Título: DESABAFO
Autor: Ysolda Cabral


Comentários

02/03/2009 18h18 - Xilef
Mais que tristeza danada hein poetisa... mais uma coisa não se pode negar, ela provocou um avalanche de versos, que nos prende do começo ao fim, deixando um gostinho de quero mais... parabéns pela bela inspiração. Grande abraço.

01/03/2009 22h52 - Betinamarcondes
Mui lindo isso..eu tb tiraria a roupa por causa da barata... e corerria a 130km com certeza...bjusbetina.

01/03/2009 20h24 - Iraí Verdan
Oi Ysolda, Desabafo é assim. Diz-se o que pensa, o que a alma está cheia e ainda fica coisa por dizer.Agora somente lembranças do que passou!Parabéns! Grata por visitar minha escrivaninha. e ler o meu Haicai.Beijos,Iraí Verdan.

01/03/2009 19h23 - Angelo Tomasini
A madrugada chata que nos leva a compor belos poemas... Adorei.

01/03/2009 13h55 - WRAMOSS
Gostei de te conhecer ! Gostei muito dos seus versos e do seu perfil. Parabéns, grande abraço e bom domingo.

01/03/2009 10h42 - Jacó Filho
Valeu cada verso Ysolda, adorei seu desabafo, pois vezes por outra sinto algo parecido... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

01/03/2009 10h38 - Juli
Bom dia! Introspecto. Catárstico. Bj poesia

01/03/2009 07h10 - Charles Canela
agora ,falando sério: que texto lindo, que realmente nos tranporta e faz pensar... vc é muito sensível e intensa ao mesmo tempo...bjs

01/03/2009 07h09 - Charles Canela
a vida é uma barata, minha amiga. digo, um barato...rssss vou contratar essa barata...

01/03/2009 01h19 - José Salvador
Que lindo desabafo...com a consciência de quem és...de quem foi e de quem nunca deveria ter sido...rs..rs..rs..um talento para as letras...(disso tenho certeza)...um coração que ainda chora de saudade e luta contra isso, mas tem os olhos no horizonte e sabe que o hoje é mais importante...( Uma barata conseguiu o que muitos homens não conseguem, fazer uma mulher tirar a roupa rs..rs..rs...) Beijos...

01/03/2009 01h14 - Lu Genovez
Pelo amor de Dio, como eu gostaria de ter escrito isso!!! Tu és genial, dona moça, tá louco!!!! ADOREI! Beijoooo