Seguidores

sexta-feira, fevereiro 27, 2009

SEXTO SENTIDO


SEXTO SENTIDO
De: Ysolda Cabral



A noite era de trovões, relâmpagos e chuva forte. Parecia inverno e não verão; Junho e não Fevereiro; São João e não Carnaval. Eu estava ali e não parecia que era eu. Tudo estava fora de tempo e de lugar. Comecei a considerar o inusitado da situação e me perguntei se tudo àquilo não seria obra da minha imaginação.

Um frio percorreu meu corpo e invadiu a minha alma, a qual a essas alturas estava meio fora de mim. Eu me olhava e me via frente a frente e era como se uma terceira existisse só para atrapalhar e confundir. Com esforço tentei me aproximar e me juntar de alguma forma. À medida que eu ia também me afastava e a terceira se desesperava.

Estava presa e dividida em três. Ocorreu-me gritar, mas quem iria escutar? De repente um suave perfume me envolveu e eu acordei. Estava tendo um pesadelo.

Lembrei de mamãe e senti uma saudade enorme. Ela era uma mãe tão dedicada que sentia quando essas coisas estavam acontecendo com um de nós, seus filhos, e, mais que depressa, ela nos tirava da situação. E, se não estivéssemos em casa, ela telefonava na mesma hora independente de onde estivéssemos. Nunca parei para me perguntar como ela conseguia fazer isso.

Refeita do susto, resolvi telefonar para uma amiga, uma vez que estávamos em pleno Carnaval,achando que ela estava acordada assistindo ao desfile das escolas de samba pela TV, e, tal não foi minha surpresa quando a ouvi suspirar aliviada e me falar: Ysoldinha, acabas de me tirar de um pesadelo.

- Brincadeira, né?! (Rsrs)


**********

Publicada tb no Recanto das Letras

Um comentário:

ysoldacabral disse...

Título: SEXTO SENTIDO
Autor: Ysolda Cabral


Comentários Recanto das Letras

01/03/2009 14h14 - HELENICE
Crônica muito real.Isto acontece com as pessoas sensíveis.Abrs. Bom final de domingo.

28/02/2009 19h25 - EDNA LOPES
Querida, como você, tenho muito respeito pela minha intuição..meu filho sempre me diz: - mãe, acho que vc é meio bruxa!Quem sabe?òtima cronica!Abração!

28/02/2009 19h01 - Nuno Lago
Tá, Ysolda, chamar-lhe sexto sentido é mais romântico... mas essa é uma das qualidades extra-sensoriais que no futuro, evoluídas, vão fazer parte do nosso leque de habilidades. Bonita crónica!! Beijos. Nuno

28/02/2009 18h38 - Yara Corrêa Picardo
Ótima crônica minha querida amiga,essa mistura de pesadelo e sonho nos deixa tonta não é mesmo, mas deu tudo certo. Também te amo viu e um beijão na minha chará.A você um carinho e um beij<> Yara

28/02/2009 14h53 - Helena C de Araujo
A intuição é algo que não deve ser ignorado. Já tive experiências fascinantes e extremamente felizes por seguir a minha... rs.. Adorei essa crônica! Perfeita e envolvente. Um beijo!!

28/02/2009 14h25 - dos Santos
Uma linda crônica meus parabéns!

28/02/2009 13h22 - Helenna Dinniz
Parabéns amiga, isto sim é sexto sentido... encontro de almas, junção dos espiritos, um sente a nescecidade do outro, perfeito!!! adorei passar por aqui pra ti um lindo e abençoado final de semana bjus poesia

28/02/2009 00h55 - Edy Gomes
Muito bom ter aprendido com mamãe , vê no que deu? rsrs... suas crônicas da cor e vida onde não há, parabens e tenha um otimo fds.

28/02/2009 00h51 - José Salvador
É verdade Ysolda, existe um algo mais nessas "coincidências", a intensidade do lindo amor de mãe... ou em um telefonema para uma amiga livrando-a de um pesadelo...Beijos....

27/02/2009 23h28 - Xilef
Muito boa sua crônica... texto belo e envolvente, me prendeu a atenção do começo ao fim. Parabéns pela bela inspiração. grande abraço.

27/02/2009 20h55 - s b sousa
no carnaval o telefonema que nos desperta, sereno abraço!

27/02/2009 20h47 - Jeronimo Madureira
Isso é afinidade! Parabéns, poetisa! Bj!

27/02/2009 20h28 - Daumon
Boa noite!Reflexivo e profundo...É poetisa, ainda bem que os nossos limitados cincossentidos precisam evoluir...Beijos...

27/02/2009 15h44 - celso panza
Vim te visitar e agradecer sua consideração,já que não tenho sistema para responder convencionalmente. Em razão da prefalada consideração destinei um artigo a você já publicado. Como do Cristo, o único amor desinteressado é o materno, daí sua prença permanente egressa de outros espaços nobres, vigilantes sobre nossos destinos, como a apontada presença perfumada de sua mãe. Nunca estarão longe de nós aqueles que já pertencem à eternidade, muito mais tendo sido razão de nossas existências, eternidade a que todos nós pertencemos pela teia da unicidade física e espiritual, na transformação serena e bela da natureza. Abraços e meu respeito. Celso panza

27/02/2009 15h12 - Lu Genovez
Fala sério, a tua amiga disse isso??!! Bah, e eu que tenho um amigo que adivinha tudo o que acontece comigo?! Ele chama de magia, tu chamas de sexto sentido. E eu aqui no meio desse "fogo cruzado". Genial, minha bela! ADORO te ler!! Beijo enormãoo.

27/02/2009 15h07 - Jacó Filho
Belo e inexplicável Ysolda, mas adorei... Parabéns! E que Deus nos abençoe e nos ilumine... Sempre...

27/02/2009 11h21 - dedete
Puxa, que texto emocionante,,,tb tenho uns trecos assim , de vez em quando...abçs, querida

27/02/2009 10h48 - Charles Canela
ler vc é viver a coisa como se tivesse presente.... muito bom... bjs

27/02/2009 09h31 - Silvia Regina Costa Lima
alo poeta ************* como vai, menina?**** Bom dia **** texto sensível - há almas que são como anjos de proteção e fazem uma ligação direta com a terra, na permissão dos espíritos superiores.. que bom que vc tem o seu, particular.. ** um beijo azul com saudades

27/02/2009 09h20 - Juli
Bom dia! Reflexivo. Almas ressonantes. Bj poesia

27/02/2009 09h19 - Mario Roberto Guimarães
Excelente crônica, Ysolda, parabéns. Beijos, Mario.