Seguidores

quarta-feira, setembro 17, 2008

BANDOLIM E VIOLÃO



BANDOLIM E VIOLÃO
DE: Ysolda Cabral


No quadro na mistura das cores
Encontro a beleza da poesia com emoção
Meu rosto jovem e sorridente está nele
Lembro desse momento e me parte o coração...

Momento de tristeza e desilusão
No meu sertão pernambucano
Quando me sentia fora de lugar e de estação...

Não lembro se era inverno ou verão
Sei que de dia o calor era insuportável
E a noite de muito frio
Havia medo do incerto e da solidão...

No terraço de casa sempre a mesma canção
Invadia a alma que não se sentia tranqüilizada
Pelos acordes tristes do bandolim e do violão...

Às vezes tentava compor um novo poema
Falando de coisas nunca vividas
Apenas imaginadas
Para me sentir recompensada...

E, assim, sempre com o sorriso no rosto
Em qualquer situação
Fazia-me acreditar na felicidade
Sem nenhuma vacilação.


Um comentário:

Livinha disse...

Pensamento é viagem
mistura de imaginação
e também de realidade,
vale à pena, dar uma saída,
isto é bem verdade,
pois imagens construídas
é pintura criativa,
marco de intensidade...
Nostalgia é sentimento bonito
embora faz doer o lado sensível
do algo vivenciado,
mexido em ponto dorido,
ou até mesmo florido,
não importa, tras saudade...
Mas na perfeição Divina
somos ave de rapina
buscando alimentação,
encontrando a esperança,
pondo um ponto na questão,
pensando em reconstrução...

Essa tal Felicidade minha querida
faz parte da busca de todos nós,
sempre que nos sentimos lesado, pedidos, por algo que nos foi tirado... É como aquela brincadeira de infancia
do "Bento, que Bento o frade
na boca do forno, o que o mestre mandar, faremos todos e se não fizermos, levaremos bolo..." querendo ou não a gente brinca nas leis da vida. Eterna competição do "Eu com o "migo" tendeu?

Bjsss e prossiga!