Seguidores

domingo, setembro 07, 2008

FALTA DE ESPERANÇA



FALTA DE ESPERANÇA
De: Ysolda Cabral


Finalmente sem laço
Eu e a minha Hortelã
Estou de um lado e ela de outro
O que faço?

Se nosso verde difere
Se nossa existência não mais sorri
Até tentei mais perto dela chegar
Mas não consegui

Se a reguei na medida exata
Como vou saber
Se a manhã foi de verão
E a tarde de chuva temporã?

Como um senão...

E então,
O que fazer?

Tirá-la do canteiro
Colocá-la num jarro de barro
Ou, talvez de cristal...
Para ela não seria fatal?!

Deixá-la onde está
Com certeza breve morrerá
E sem o seu perfume,
Como farei para do pesadelo acordar?

Ah! Minha Hortelã...
Que falta de esperança
Você me dá!

Nenhum comentário: