Seguidores

quinta-feira, janeiro 15, 2009

GAVETA DA MEMÓRIA


GAVETA DA MEMÓRIA
De: Ysolda Cabral


Sabe aquela viagem
Que levei na “bagagem” apenas o meu amor;
Que usei meus olhos como máquina fotográfica;
Guardando as fotografias com muito carinho,
Na “gaveta” da minha memória?

- Pois é!

Hoje resolvi abrir à respectiva...
E constatei, a duras penas, que todas as fotografias
Foram irremediavelmente estragadas...
Desfeitas...

- Ou, finalmente?

Nenhuma escapou da ação do tempo...
De início fiquei pasma.
Depois revoltada chorei a cântaros,
Xinguei o tempo e dei ponta pé no vento...

- Me acalmei!

Agora não sinto nada.
Nem saudade, nem tristeza,
Nem muito menos raiva.

A “gaveta” está intacta.
A máquina fotográfica, nem tanto!
Outra viagem sei que farei.
Desta feita sem enganos,
Nenhuma fotografia guardarei.


Um comentário:

Livinha disse...

Aprendi que guardados
que sejam àqueles que nos floresce
a alma, nos enriquece de alegria
e nos permite viajar no contra-tempo, revivendo, relembrando
e sorrindo para o firmamento,
como a assistir o filme, que como espelho da mente, reflete do outro lado, além no horizonte...
Mas aquele passado, negro, escuro
que se esconde detrás dos montes,
esses não podem ser guardados, mas jogado fora, para não se fazer sofrer....

Sei que nem tudo o que escreves, seja relacionado a você minha querida, mas seja lá pra quem for, eis a minha escrita feita com muito amor....

Fica bem
Bjss