Seguidores

quinta-feira, outubro 30, 2008

PREMONIÇÃO


PREMONIÇÃO
De: Ysolda Cabral



Como se já não bastasse à “engrenagem”
De meu coração ser “configurada“
Para bater em sua homenagem
Você ainda quer meus poemas só para você?

Ah! Isto não está certo e assim não pode ser!
E para mim o que há de haver?
Talvez algumas belas lembranças,
Até onde a mente alcança...
E, isto é muito pouco, pode crer.

Os sentidos por mais aguçados,
Nem sempre são dóceis e açucarados.
E, a premonição, comum na minha idade,
- Disse-me um dia um padre -
É muito falha e causa confusão.

Ele mandou que eu prestasse atenção
Aos avisos do meu coração.
Mas sempre que faço isso, dá tudo errado!
Eu é que de fato me arraso,
E você sempre é quem tem razão!

Oh, mundo doido esse da ilusão!
Ficamos sem saber onde estamos,
Sem saber para onde vamos,
E a mercê do coração.
******

Publicada no Recanto das Letras em 29/10/2008

Nenhum comentário: