Seguidores

terça-feira, maio 19, 2009

CARÊNCIA



CARÊNCIA
De: Ysolda Cabral


Suspirando de saudade,
De um amor nada efémero e empírico,
Exclusivamente no sentido filosófico,
Entreguei-me a devaneio declarado.

O botão de rosa laranja pálido,
Estático, esquálido,
A minha frente no jarro,
Parece um quadro.

- Que triste!

Sem vida e sem perfume,
Sem alegria e sem perspectiva...

O jarro eu destruo.
E os meus sonhos?

- Você existe?!
**********
Publicada tb no Recanto das Letras

Um comentário:

Anônimo disse...

as vezes leio seus poemas e me falta palavra,de tão belos q são q me toca a alma,e ñ consigo expressa nada,mais posso te dizer:seus sonhos quarde cada um,porq só realizamos aquilo q desejamos quando sonhamos....

ALI CABRAL