Seguidores

sábado, maio 23, 2009

PUETALÓIDE & YSOLDA CABRAL - DUETO


"Aferição Poética"
Puetalóide & Ysolda Cabral

SONETO DE AFEIÇÃO

Porque teimas, oh musa, em negar
Esse amor q'eu sinto, e lhes mereço.
Que dedilho em versos, lhe endereço.
E que você finge não acreditar?

Porque teimas, oh musa, ignorar?
- Negar tanto afeto, tanto apreço -
Tanto amor em versos q'eu ofereço.
Porque teimas, musa, em desprezar?

Se assim procedes... - Se me negas -
Esse amor que outrora foi em medas
Pode um dia, quem sabe, declinar.

E ao desprezo de tí..., Por abandono
Ir aos poucos fluindo, se decompondo.
Ou, em mágoas e prantos... Acabar.

Puetalóide

**********************

Poema Em Aceitação


A musa não nega o que sentes
E muito se faz envaidecida.
Sabe perfeitamente que não mentes
Apenas... Retribuir... É impedida.

Os versos endereçados são chegados
Ao acorde de sublime melodia.
Como não poderia acreditar
Em tanto encantamento e magia?

Teu amor oferecido
Recebo com carinho e devoção.
És meu poeta preferido.
- Enterneces meu coração -

Jamais a musa abandona o poeta
Porém o contrário sempre é certo.
Não contradigas o que te digo
Posto aqui, pra ti, eu não minto.

Ysolda Cabral
**********

Puetalóide
Publicado no Recanto das Letras em 22/05/2009
Código do texto: T1608872

http://recantodasletras.uol.com.br/duetos/1608872

**********


Obrigada, querido amigo e poeta amado, pela oportunidade de compor com você este belíssimo Dueto. - Senti-me honrada.



Nenhum comentário: