Seguidores

domingo, maio 11, 2008

EU E O SOLDADINHO





EU E O SOLDADINHO
De: Ysolda Cabral




Um dia muito triste tive
Esforcei-me para que fosse um dia qualquer
Até toquei o meu violão e cantei uma canção
Muito suavemente para acalmar meu coração...


Como a música é sempre mágica e faz milagre
Confiei-lhe todas as minhas emoções
E fiquei foi muito decepcionada
Pois não aconteceu absolutamente nada...


A tristeza aumentou
O violão desafinou
Minha voz sumiu
E eu fiquei a olhar o vazio...
- Que frio!!!!

De repente, um Soldadinho
Pousa na minha perna
Com suas asas pequenas e belas
E sinto seu carinho...

Logo vem um beija-flor
Pára, olha para mim e para ele
Como se quisesse dizer
O que fazes com minha flor?


Não obtendo resposta
Vai embora
Do mesmo jeito que chegou...

Fiquei ali a refletir
Eu e o meu pequeno
E frágil companheiro
Sobre o amor verdadeiro...


Como ele nem se mexia
Fiquei em agonia
Precisava me levantar
E do canto não saia...


Não queria perder a sua companhia
E fiquei um logo tempo a esperar
Pelo o quê, eu não sabia
Creio que só queria
Na tarde do meu dia
Um pouquinho de alegria...



2 comentários:

Livinha disse...

Amei o seu Poema
da tua alegria, do teu anseio
de esperar, de acreditar e encantar
o ambiente no teu grito mudo de Paz e sabedoria....
O soldadinho que chega
como que a policiar os teus ais
e faz-se presente em tua companhia
como ouvinte do coração que pulsa
sob a mensagem de teus pensamentos
Ele ouvia e compreendia teus lamentos
e no silencio ele te dizia, como
recado trazido de alguém
Estou aqui, sempre presente
guardando-te docemente
porque no silencio, posso
ouvir-te a falar de mim.....
Ysolda, maravilhosa tua mensagem
qto sentido tem tem aos olhos de quem o ler, porém os teus sentidos
você e o soldadinho, somente pode saber....
Perfeito!
Admiro muito você!
Bjsss

Amor incondicional disse...

Ah minha amiga
Muita alegria para voce!
Lindo poema
bjs