Seguidores

quinta-feira, novembro 13, 2008

PINGOS DE CHUVA




PINGOS DE CHUVA
De: Ysolda Cabral



Isso não se faz
Não é coisa normal
Não é uma coisa racional
Não é mesmo nada que apraz
É um sofrimento medonho
Que vem de dentro da alma
Através das lágrimas que caem
Sentidas, doloridas, machucadas
E perdidas que não servem para nada
Nem para molhar a planta que na jardineira
De tão sozinha já não mais encanta
Sobrevive por culpa de alguns pingos de chuva
Que vez ou outra por pena ou pirraça o vento trás
A solidão é tanta e mais que tanta
Que machuca e cai por falta de esperança
Sem firmeza, sem apoio e em abundância
Termina se perdendo num espaço vazio
Onde nem o eco atende ou responde
A vida não é nada santa
Maltrata, tripudia e poucas vezes acalanta
Continuo sem entender
Porque me faço tanto sofrer
Só sendo por querer.
Acho que sou burra
Não por um dia, como a minha linda amiga e poetisa Lu Genovez,
Mas por todas as vidas e não só uma vez.

*****

Publicado no Recanto das Letras em 12/11/2008Código do texto: T1278859

Um comentário:

Edgar Martins disse...

Já postei no recanto sobre o texto, e já sabes que o adorei! Beijos, poeta