Seguidores

terça-feira, novembro 04, 2008

SEM ARREPENDIMENTO




SEM ARREPENDIMENTO
De: Ysolda Cabral



Sabe aquela música?
- Não a escuto mais.
E àquele livro?
– Doei!

Até tentei novamente lê-lo,
Como tantas vezes fiz.
- Não consegui!

Não me arrependi.
Até por que nem o entendi direito!
Esperava que um dia você o lesse para mim
E me explicasse, com carinho e paciência,
Tudo que estava ali da filosofia e da ciência.

As nossas poesias...
As nossas mensagens...
As nossas fotografias...
- Deletei
E nem na lixeira deixei.

Seu perfume?
Derramei na primeira pia que encontrei,
Abrindo bem a torneira,
Deixei a água levar
Todo o seu cheiro de uma vez.

Até confesso que chorei...
Mas logo parei.
Lavei o rosto e me maquiei.
Depois de pronta, me olhei...


No espelho estava a sua cara,
E olhando bem dentro dos seus olhos,
Com vontade ainda de chorar,
Jurei nunca mais vou lhe amar.

***********

Publicada no Recanto das Letras em 03/11/2008Código do texto: T1263692

Um comentário:

Anônimo disse...

Não pensei q esse poema fosse me fazer chorar tanto,talvez eu esteja sencivel de mais rsrsr.
pois tudo q está escrito neste poema eu já fiz,recordei ainda mais com esse fundo musical quase me acabei de tanta lágrima q em minha face escorria dilaceradamente... e confesso vi minha maquiagem borrada,e minha imagem ao espelho dizendo assim: nunca mais,nunca mais vou te amar kkkkkkkkkkkkkkkk..há o perfume esse eu derramei todo e ainda quebrei o vidro e com ele minha lágrimas também foi junto,mais o cheiro permaneceu em minha alma...

priminha esse é meu poema,q um dia quiria escreve-lo..

só posso te dizer q te amo,amo muito..porq será em? rsrsr