Seguidores

quinta-feira, dezembro 25, 2008

FAZENDO AS PAZES COM VOCÊ


FAZENDO AS PAZES COM VOCÊ
De: Ysolda Cabral



Sentindo uma saudade enorme de você
Mesmo estando ainda muito magoada
Com o que aconteceu
Criei coragem e fui ao seu encontro
Afinal sou uma louca apaixonada

Chegar até você não foi fácil
Com a perna machucada
Sentindo uma dor danada
Foi muito dolorida a caminhada

Uma ou duas vezes tive que parar
Chorar um pouquinho esperando a dor passar
Daí enxugava as lágrimas para o caminho enxergar
E assim continuava no firme propósito de lhe encontrar

Por um momento pensei pedir ajuda e retornar
Mas não podia fazer isso
Teria que ser hoje (25) ou nunca mais, afinal
Como ficar também sem você no Natal?!

Com o coração descompassado
Com a determinação dos que amam de verdade
E não têm medo de nada
Cheguei até você e me senti realizada

E, sem pensar em mais nada
Corri feliz para você
Mergulhei fundo e de cabeça
Imediatamente me senti inteira
E com você apaziguada
Pensei: será que sou Sereia?
**********

Publicada tb no Recanto das Letras

5 comentários:

Livinha disse...

Estou aqui
a pensar em Jesus
olhando para cruz
com ele a me afagar...
Ele me diz
ser possível afastar
as dores,
quando passamos a perdoar...
A mágoa,
é pior que um tiro no peito,
não cicratiza, não tem jeito,
se a raiva em nós liderar...
Quem somos nós
pra falar, criticar ou julgar
se somos ainda imperfeitos,
pois que tiro em outros peito
estamos sempre a dar?
Vamos amar!
a alma lavar,
dessas dores se livrar,
pra ser feliz,
vamos perdoar
quando um dia
o perdão, haveremos
também de buscar...
Se a caminhada está feia
vamos fazer a reforma,
plantar flores, pintar
a vida,
transformar a hora morta,
em alegria bendita.
E tudo haverá de sorrir
outra vez,
pois que o mal que
a gente fez
será assim perdoado,
a exemplo do que foi dado,
o sentimento trocado,
vai curar o desamor
e tudo será Amor...

Feliz 2009!!

Bem de acordo com seu poema
linda sereia que a seu Boto
evita perdoar....

ysoldacabral disse...

Ô Livinha,

Sua boba,
Eu falo do meu amor pelo mar
Que no outro dia me deu um " caldo de lascar"
Quase morri e olhe que sei nadar
Daí nunca mais entrei no mar
Hoje resolvi o encarar
Por que sem ele, como poderei sonhar?

Livinha disse...

E daí se foi o mar
e não o Boto linda sereia
larga de mão que coisa feia
o mar contigo só quiz brincar.
Joga fora o medo
abrace a ele sem receio
pois um amor verdadeiro
você guarda no seio
e não é facil se livrar...
Ele é afins contigo
e sem você
ele fica sem amigo
a solidão experimentar...
Bobinha és tu
mulher de caruaru
com medo de se atirar...
Pode parar!!!

rss
Desfaça o biquinho e vmos
embora que o verão taí
pra vc voltar a se apaixonar....
Bjss
hãm!! Bateu, levou!!

ysoldacabral disse...

Não tem jeito!
Eu desisto.
Com você não há quem possa.
Ô paraibana arretada!
Ganhas todas numa boa?!!!
E eu é quem fica com a cara de boba.

Hahahahaha

Livinha disse...

Bom,
finalmente chegaste ao consenso
e eu no meu bom senso
posso me retirar...
ah, apenas uma pergunta:
tem algo que me assunta,
se pensas no tal do Boto,
como podes do mar se afastar?
Será que a ficha não cai?
não foi o mar quem te derrubou,
foi o Boto querendo te arrastar
Êta sereia do mar
que ao Boto se exibe
e tem medo de se apaixonar...

kakakakaak
Agora eu vou sonhar...
Bjs