Seguidores

sexta-feira, dezembro 26, 2008

SOU SEREIA





SOU SEREIA
De: Ysolda Cabral



De quem será a culpa,
De me sentir hoje uma Sereia,
A espera do meu Boto,
Aqui em plena areia?

O dia está lindo e convida à caminhada.
Por motivos óbvios, declino do convite.
Contudo, agradeço sensibilizada.
Afinal, sou uma Sereia educada.

E continuo a minha espera.
Nem lembro que o leito do Boto é o rio...
Além do mais, é dezembro e não junho...
Então, como ele aqui há de chegar,
*Livinha?

Resolvo cantar para o tempo passar,
Mas um braço enciumado,
Envolve-me num forte
E decidido abraço...

E sem nada me dizer ou perguntar,
Leva-me suavemente embora,
Para nunca mais voltar.
**********

* Livinha - Lívia Apetitto: poetisa, repentista, paraibana da gema e mui amiga minha ... Ô pestinha!!!!

http://livinha27.blogspot.com/

2 comentários:

Livinha disse...

Oh my god!!
a corda sempre arrebenta
pro lado dos mais fracos
e eu aqui sem de nada saber,
sentada na cadeira dos réus
julgada e decretada culpada!!
Encantei-me com uma sereia
que brigava, contra o mar,
dizendo ter medo dele,
por um tombo ela levar...
Tentei apaziguar a situação,
deixando de lado a emoção,
mostrando que o mar, não pensa
mas apenas se arrebenta,
no continuar de suas ondas..
Que na verdade foi um Boto,
que em pleno céu de Agosto,
pela sereia, se fez por enfeitiçar..
Que na primeira vista do mar
a ela fez rodopiar
caindo nas águas, por querer amar...
Cá entre nós
a futura advogada
creio querer fazer promotoria
pra assim poder a mim julgar
sem nenhuma carta de alforria
me detonar!!

Ps:
Ysolda, sem palavras
por teus encantos
pela colocação que me dar.
Como poeta estou decretada culpada,
mas como pessoa sei, desejas me alforriar...
Obrigada pelo teu carinho
pelas tuas homenagens
nesta amizade tão linda
que estas a cultivar...
Bjsss
Lívinha

Livinha disse...

Sabes que o impossível
é fazer um morto voltar
mas para quem está vivo
o amor não tem barreiras
nem muito menos hora pra chegar..
Toda regra há exceção
e creia o Boto não dá mole não
ele vai no fim do mundo
onde exista oceano fundo
pra a sereia encontrar...
O tempo de nada pra ele diz
se sente forte, contente e feliz
em qualquer mês do ano amar...
Imagine se vai perder
deixar passar linda sereia
sem a ela ele se dar...
Desconhece o amor dna Ysolda
que poderoso e corajoso,
se vira, remexe, se molda,
e como imã, se desloca
em magnetismo a colar...
Vai lá menina
não deixe o Boto escapar.

Resposta a sua pergunta do poema...
Bjss
Mulher criativa, poetiza cheia de amor pra dar...
Ysolda, amoooo