Seguidores

quinta-feira, dezembro 18, 2008

MINHAS MÃOS


MINHAS MÃOS
De: Ysolda Cabral


Vejo o tempo em minhas mãos
Bonitas, mesmo castigadas.
Ainda úteis, fortes, enérgicas,
E, que afagam com suavidade,
Como se tivesse tenra idade.

Com elas, por onde passo,
Deixo tudo mais bonito e arrumado.
- Minha marca registrada, ou seria “toque”? -
Elas fazem o meu retrato fiel, ordenado,
Um tanto incompreensível e abstrato...

Ajudam-me a escrever o que dita a minha alma.
Assim vou registrando e vivendo dia após dia
Vendo o tempo passar entre meus dedos sem ironia
Como luvas finas que usamos ao casar
Pelo simples ato de usar.

Ah! Minhas mãos...
Gosto tanto delas que quando as olho
Sofridas, calejadas pela vida e pelo violão,
Sinto orgulho e logo faço em sua homenagem,
Uma linda canção.

Ah! As minhas mãos...
- Onde estão?
Bem aqui traduzindo emoção.
Ou será que não?

**********
Publicado no Recanto das Letras em 18/12/2008

Código do texto: T1342108

Um comentário:

ysoldacabral disse...

Comentários no RL

18/12/2008 18h45 - Jacó Filho
Boa tarde Ysolda, belíssimo e sábio poema... As mãos facilitam em muito nossas realizações, e tem utilidades indiscutíveis... Adorei... Parabéns! E que Deus nos abençoe... Sempre...

18/12/2008 13h59 - Jeronimo Madureira
Linda poesia de gratidão! Parabéns, poetisa! Bj!

18/12/2008 13h22 - favo de mel
voce bem o disse: suas maõs transmitem emoção...bjs. feliz natal... bjs de mel

18/12/2008 13h02 - Mauro Gouvea
Adoro mãos e adorei o poema. Convido-a a ler meu poema "As mãos de Euclides"