Seguidores

terça-feira, dezembro 23, 2008

SAPO ANALISTA





SAPO ANALISTA
De: Ysolda Cabral


Falo com o sapo sobre meus “grilos”,
Finjo ter a força de uma tigresa,
A sabedoria de uma águia,
A esperteza de uma onça
E com a experiência adquirida em almanaque,
Julgo-me perfeita...

Cada vez menos vaidosa,
Vivendo entre a sanidade e a loucura,
Sou lesma a caminho do nada.
Ferida pelos açoites da noite
E motivo de deboche das corujas
Que me espreitam por diversão,
Sou mesmo um caso sem solução...

O gavião me dá um “bote”,
Para navegar num rio de jacaré.
De longe acompanha a minha luta
E cada ponto que perco,
Escuto o seu vibrante olé!

No meio do pesadelo,
Minha hortelã exala o seu perfume,
E imediatamente me tira da noite escura,
Para um iluminado dia que começa.
Respirando aliviada, porém cansada,
Dou Graças...
Agora estou acordada!
**********
Publicada no Recanto das Letras

Nenhum comentário: